quarta-feira, 3 de abril de 2013

Pre Projeto de tcc Concluido

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ- UFPA
INSTITUTO DE CIÊNCIA DA ARTE- ICA
ESCOLA DE TEATRO E DANÇA DA UFPA-ETDUFPA
LICENÇIATURA PLENA EM DANÇA -2012



AS TÉCNICAS DO BALLET CLÁSSICO E SUAS DIMENSÕES FISIOTERÁPICAS

Wagner Monteiro Alves










                                                                        BELEM – PA

                                                                                2013









UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA
INSTITUTO DE CIÊNCIA DA ARTE - ICA
ESCOLA DE TEATRO E DANÇA DA UFPA - ETDUFPA
LICENÇIATURA PLENA EM DANÇA -2012



AS TÉCNICAS DO BALLET CLÁSSICO E SUAS DIMENSÕES FISIOTERÁPICAS





Wagner Monteiro Alves
Artigo apresentado ao curso de Graduação em Licenciatura Plena em Dança para obtenção de nota parcial referente à disciplina Metodologia de Pesquisa  em Artes ministrada pelas Professoras Luíza Monteiro, Mayrla Andrade e  Wlad Lima, na Universidade Federal do Pará
 Possíveis Orientadores (as): Saulo Silveira/ Maria Ana Azevedo.





                                                                     BELEM – PA
                                                                           2013





Sumário

1. Contextualização............................................................................................................?
2. Objetivos........................................................................................................................?
3. Delimitação....................................................................................................................?
4. Justificativa....................................................................................................................?
5. Problematização e Hipótese..........................................................................................?
6. Estado da Arte...............................................................................................................?
7. Metodologias.................................................................................................................?
8. Cronograma...................................................................................................................?
9. Sumário Provisório........................................................................................................?
10.Referências....................................................................................................................?
11. Anexos.........................................................................................................................?











1. CONTEXTUALIZAÇÃO

Surgido no século XV, no interior dos castelos da nobreza, em Florença na Itália, o balé apresenta-se como forma de dança derivada de manifestações camponesas, que adaptadas por membros da corte, se tornaram a dança mais executada nos grandes salões, caracterizando o poder, luxo e ostentação das riquezas. Inicialmente, o ballet era visto apenas como um divertimento para a corte, uma festa, um pequeno baile,balleto, um tipo de dança, que camuflava interesses políticos que eram discutidos durante o baile. Com o passar do tempo, o balé rompe fronteiras tornando o território francês seu principal cenário de evolução, através de nomes como Pierre Beauchamp, criador das posições básicas do balé e Luís XVI com quem a dança obteve grande êxito.
O balé exige grande técnica e aperfeiçoamento do movimento corporal, sendo a perfeição do movimento um dos seus principais objetivos. Nesse gênero de dança os movimentos básicos e necessários são: Plier, battement, pás, relever e sauter, que trabalham com rotação, equilíbrio, extensão e flexibilidade do corpo, proporcionando ao bailarino melhor desempenho técnico e corporal na dança. A ausência desses movimentos impedirá o desenvolvimento físico, causando muitas vezes dores musculares, distensões e outros problemas de saúde, necessitando de tratamentos fisioterapêuticos.
A fisioterapia é uma área da saúde que tem por objetivo estudar o condicionamento e a reabilitação de corpos que se encontram debilitados, por meio de técnicas que possam despertar o movimento no corpo que se encontra estático. Suas origens remontam aos tempos da antiguidade, idade média, renascimento e período da industrialização. É uma ciência que trabalha com os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e doenças adquiridas.
O elo entre o balé e a fisioterapia é dar melhor condicionamento físico ao movimento, no qual possa servir como possível recurso terapêutico, por meio de técnicas biomecânicas, concepções e movimentos do balé. O trabalho do balé vinculado à fisioterapia é aperfeiçoar o movimento corporal e como recurso terapêutico está baseado nas propriedades físicas da dança e controle corporal. Portanto com o conhecimento das técnicas básicas aliados a tratamentos fisioterapêuticos, estas podem servir como reabilitação para um corpo debilitado, dando assim importância às técnicas do balé e suas dimensões fisioterápicas.









2. OBJETIVOS

*Objetivo Geral:
Analisar as técnicas do balé clássico aplicadas sob uma perspectiva fisioterápica em corpos debilitados.
*Objetivos Específicos:
Investigar locais que trabalham com as técnicas do ballet clássico aliadas aos procedimentos fisioterápicos;
Analisar a estrutura anatômica dos pacientes-bailarinos;
Observar o desenvolvimento dos pacientes-bailarinos por meio das técnicas básicas do ballet aplicadas na fisioterapia;
Trabalhar com a consciência dos pacientes-bailarinos.





3. DELIMITAÇÃO

O ponto fundamental das terapias corporais para os pacientes-bailarinos é o conhecimento do próprio corpo, visto que ele deve obter conhecimento de sua estrutura física corporal, para assim então respeitar suas individualidades e limites. Isso se dá por meio do condicionamento físico do paciente-bailarino, conforme o aperfeiçoamento do movimento e suas correções, com ênfase em sua própria consciência corporal, sabendo que tendo consciência de si mesmo é fazer um estudo de conhecimento interno e externo de sua estrutura.
Analisando-se a estrutura anatômica do paciente-bailarino e do não paciente-bailarino debilitados, serão aplicadas técnicas que possam trabalhar com a reabilitação desses corpos que se encontram estáticos geneticamente ou adquirido com o tempo. Isso faz com que técnicas - como as de Laban, que trabalha com analise do movimento, Feldenkrais que tem ênfase na sensação do movimento e Pilates que trabalha com esforço controlado - possam servir como terapias para corpos que estão em busca de melhores condicionamentos físicos eque aplicadas por meio das técnicas do balé dão toda esta dimensão fisioterápicas.
Essas dimensões aplicadas na dança trabalham com toda estrutura corporal do individuo mesmo os que se encontram móvel ou imóvel, por meios das técnicas do balé no âmbito fisioterápico. As posições dos pés, mãos, braços, cabeça englobando todas as posições do corpo, desenvolvem uma noção espacial e interação para com o meio no qual se está trabalhando o conjunto com as propriedades físicas da dança, o raciocínio e a memoria, objetivando, portanto, vencer as limitações dos bailarinos.
Por fim, ao relacionar as técnicas do ballet com a fisioterapia no tratamento de pessoas com distúrbios psicomotores, percebem-se melhoras não só no condicionamento físico, mas também aumento da autoestima, confiança, equilíbrio do corpo, postura, alivio de tensão, do estresse e melhora na disposição. Dessa forma trata-se de uma terapêutica alternativa que pode ser utilizada em escolas e polos de reabilitação que incluem deficientes físicos.



4.  JUSTIFICATIVA

Pretendo falar sobre as técnicas do ballet clássico no âmbito fisioterápico, pois me identifico tanto com a área da dança como a área de fisioterapia. Trabalhar com reabilitação de corpos, é dedicar parte de sua vida para pacientes-bailarinos debitados/não debilitado. Através das técnicas do ballet clássicos inseridos na fisioterapia poderão trazer a esses pacientes novamente um sorriso que antes estava escondido por medo, vergonha, pressões psicológicas e insegurança. Sendo assim, por meio da dança, tentarei resgatar o movimento do corpo e a autoestima dos pacientes bailarinos.
Sendo de grande importância, acredito que este trabalho virá a contribuir para a dança, de forma á despertar novos pesquisadores a falarem o quanto a dança é importante para área da saúde e para a área da dança, visto que ambas trabalham com o corpo e que as técnicas que trabalham, podem juntar-se e gera um novo método de tratamento fisioterápico. Portanto, a grande diferença é que estarei despertando nos pesquisadores o valor da dança em algumas áreas profissionais.
         A partir do momento que a dança passa a ser uma terapia, essa vem, a contribuir para a sociedade de forma a trabalhar no paciente-bailarino, a possibilidade deste recuperar movimentos de parte do corpo que se encontra estático. Logo a dança, será de grande importância para os pacientes-bailarinos, pois ajudará no processo de ressocialização para com o meio, no qual esses convivem.
Portanto, eu Wagner Monteiro Alves, acredito que a dança pode sim ser utilizada como terapia, que possibilita aplicações como recurso terapêutico físico e mental para pacientes-bailarinos e que proporciona a estes melhores condicionamentos e mais ainda sensação de bem-estar e aumento da autoestima.






5. PROBLEMATIZAÇÃO E HIPÓTESE

Como trabalhar a dança no âmbito fisioterápico a partir das técnicas do ballet clássico?

Pretendo investigar a importância da dança na área da fisioterapia, através de exercícios que trabalham o movimento corporal, melhorando o equilíbrio, controle postural, coordenação motora, o alongamento muscular, o controle emocional e a capacidade de superação, adquiridos por meio da dança.












6. ESTADO DA ARTE

Meu objeto de pesquisa retrata a dança inserida na área da fisioterapia por meio das técnicas do ballet clássico utilizado como tratamento fisioterápico, tendo como objetivo principal proporcionar aos pacientes-bailarinos melhores condicionamentos físicos corporais.
Como foco principal ou elemento indutor, a monografia de Cardoso (2008), tendo em vista os aspectos sociais inerentes a prática do ballet clássico e os desgastes físicos dos pacientes-bailarinos, são encontrados nos recursos fisioterápicos, por meio de exercícios que visam as melhoras dos tais. Cardoso suscita que:
O trabalho em comum do balé e a fisioterapia é aperfeiçoar o movimento corporal. Existem também objetivos em comum: no balé é a perfeição do movimento e na fisioterapia o extremo do movimento funcional. O balé como recurso terapêutico para fisioterapia está fundamentado nas propriedades físicas  da dança, controle motor e as concepções do balé. Portanto, com este conhecimento  possível sugerir uma terapêutica com movimento do corpo
Os textos de Mendes(1987), Caminada(1999) e Achcar(1989), foram de suma importancia, pois estes virão a contribuir para minha pesquisa, uma vez que esses irão retratar  a historia da dançaonde :
O ser humano em sua natureza possui a necessidade de expor para as pessoas a sua volta seus sentimentos e estado de espírito que, ao dançar, se utiliza da estética e musicalidade, ou seja, se comunica movimentando o corpo. A história dos povos e seu modo de vida são contados também por meio da dança porque esta sempre foi usada como diversão, arte é a melhor maneira de expressar as emoções (Mendes, 1987; Caminada, 1999; Achcar, 1998,p.3).
Em seguida, tive como indutor Achar (1998), que no decorrer de minha pesquisa virá a contribuir de forma comunicativa ao tratar do processo de evolução da dança em especial o ballet clássico, que Bertoldi relata essa:
Com expressão artística pessoal, assim foi na pré-história do mundo ocidental, realizada em cerimônias, celebrações e cultos. Os egípcios usavam a dança em eventos culturais, os gregos para educação e cultura (tragédia e sátiras) como também preparar-se fisicamente, os romanos dançavam com acrobacias. Esse tipo de expressão humana tornou-se puramente festiva e folclórica na idade média pelo predomínio da igreja e sua aversão à obscenidade e sensualidade apresentada na época.Na renascença a dança volta a se despertar e a partir do século XII os nobres da Itália e Europa para sobressair contratavam profissionais para desenvolver espetáculos em festivais particulares com danças que eram chamadas de balli ou balletti. Assim nasceu a primeira forma de balé, com a rainha da França em 1581 ao contratar italianos para ir a Paris, criaram o Balé Cômico da Rainha com significado filosófico que integrava o governo, à natureza e o universo. Este foi imitado em toda Europa e usava uma técnica que mantêm a rotação externa de quadril permitindo movimentos para qualquer direção. O rei Luis XIV dançou por vinte anos nos século XVII e XVIII, incentivou a profissionalização do balé, formatou movimentos, tirou dos salões e levou para o teatro como pode ser visualizado na figura1 (Achcar, 1998, p.3)
Por fim, considero o texto de Pretince (2003), uma precursora social para com o processo de reabilitação do paciente-bailarino, por meio das técnicas do ballet clássico inseridas na área da fisioterapia, que trabalhará com toda a estrutura física corporal dos indivíduos.










7. METODOLOGIA

Partindo de uma pesquisa bibliográfica de LIMA, minha aplicação é básica, pois a dança é uma atividade física e mental de fundamental importância usada na fisioterapia tal qual como ela é, e analisarei e possivelmente aplicarei as técnica do ballet clássico e suas dimensões fisioterápicas, no qual ainda não são utilizadas pelos centros de tratamentos fisioterápicos e nem mesmo pelas academias de dança dentro da cidade de Belém do Pará.
Sendo de natureza qualitativa, minha pesquisa será aplicada no campo, para que eu Wagner monteiro, possa analisar essa técnica que é de fundamental importância para a reabilitação de pacientes-bailarinos e de suma importância para meu objeto.
Tenho como fonte de pesquisa local ainda não estabelecido, mas já em estudos o núcleo de fisioterapia, onde pretendo pesquisar profissionais da área da fisioterapia, profissionais da dança e pacientes bailarinos. Portanto minha pesquisa é de cunho participante, pois estes colaborarão para minha pesquisa.
Meu procedimento é de aspecto bibliográfico, pois utilizarei de entrevistas, diálogos com os profissionais e colaboradores da área, gravações de vídeos e fotos que possam vim a colabora para meu objeto e que será de grande importância para a sociedade em geral.
Em se tratando das possíveis delimitações que poderão, vim atrapalhar o processo de desenvolvimento de minha pesquisa, cito a falta de não encontrar um local para que possam ser aplicadas essas técnicas do ballet clássico no âmbito da fisioterapia, já sabendo que não existem centros de fisioterapia e nem academias de dança que trabalhem com essa nova técnica.







8. CRONOGRAMA


Defesa do TCC..................................................................................   Junho de 2015      
Processo de leituras, estudos, escrito e Revisão Ortográfica-Organizacional do TCC..................................................................................................    Julho de 2014 à Maio de 2015      
Apresentação e Revisão escrita desta Pesquisa ao (a) Orientador (a)......................................................................................................    Abril/ Junho de 2014      
Início da Pesquisa de Campo...................................................    Dezembro de 2013 à Março de 2014      
Esboço e Entrega destas ideias, reflexões escritas para o (a) Orientador(a)..................................................................................  ..  Setembro/ Novembro de 2013      
Reflexões, organização de ideias a respeito do Projeto.....................    Março/Agosto de 2013   











9. SUMÁRIO PROVISÓRIO

Introdução

1.História do Ballet clássico.
1.1 O Ballet clássico no Brasil.
1.2 O Ballet Clássico em Belém.
1.3 A dança como expressão corporal, através dos movimentos.

2. Teorias do movimento e a dança.

3. História da fisioterapia.
3.1 Propriedades físicaspresentes na dança.
3.1.1 Coordenação Motora.
3.1.2 Equilíbrio.
3.1.3 Propriocepção.
3.1.4 Cinestesia.
3.1.5 Força Muscular.
3.1.6 Fisiologia do controle motor.

4. O Elo do Ballet e a Fisioterapia.
4.1 As técnicas do ballet clássico.
4.2 Biomecânicas e cinesiologia do ballet.
4.3 Concepções básicas do ballet (series de exercícios corporais).
4.4 Movimentos iniciais do ballet clássico.
4.5 Dimensões fisioterápicas do ballet.

Conclusão

Referencias Bibliográficas
 
 Anexos








10. REFERÊNCIAIS BIBLIOGRÁFICAS
CARDOSO, Daniela da S. A. AS CONCEPÇÕES DO BALÉ COMO POSSÍVEL RECURSO TERAPÊUTICO NA FISIOTERAPIA;Prof. Orientador: Elder Sales Silva; Goiânia: Faculdade Padrão, 2008, 100_folhas; Trabalho de Conclusão de Curso.
PRENTICE, W. E; VOIGHT M. L. Técnicas em reabilitação musculoesquelética.  Porto Alegre: Artmed, 2003.
MARGHERITA, A. J. Issues in gynastics and dancers. Sports Medicine and Rehabilitation: a sport-specific approach, Philadélfia, 151-167, 1994.
KISNER, C; COLBY, L. A. Exercícios Terapêuticos: Fundamentos e Técnicas, 3ª ed. São Paulo: Manole, 1998.
LIMA, L.Dança como atividade física. Revista Brasileira de Medicina do esporte 1 (3) 94-96, jul/set, 1995.
PORTINARI, M. História da Dança, 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.
NETTER, F. H. Atlas de anatomia humana. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.
SANTOS, A. Biomecânica da Coordenação Motora. São Paulo: Summus, 2002.
TEIXEIRA L. A. Controle motor.São Paulo: Manole, 2006.
GUYTON, A. C. Fisiologia Humana. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.
CAMINADA, E. História da Dança: Evolução Cultural. Rio de Janeiro: Sprint, 1999.
BERTONI, I. G. A dança e a evolução: o balé e seu contexto teórico prático, programação didática. São Paulo: Tanz do Brasil, 1992.
BERTOLDI, A. L. S. A interferência da prática da dança na reabilitação de portadores de deficiência física; Rev. Fisioterapia em movimento, vol. X, nº 1, 1997.
ARAÜJO, A. D. S; MERLO, J. R. de C; MOREIRA, C. Reeducação neuromuscular e proprioceptiva em pacientes submetidos à reconstrução do ligamento cruzado anterior. Revista Fisioterapia Brasil, vol. 4, n°3, Rio de Janeiro: Atlântica, páginas 217-22, 2003.
ACHCAR, D. Balé uma arte. Rio de Janeiro: Ediouro, 1998.
 
11. ANEXOS



 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ- UFPA
INSTITUTO DE CIÊNCIA DA ARTE- ICA
ESCOLA DE TEATRO E DANÇA DA UFPA-ETDUFPA
LICENÇIATURA PLENA EM DANÇA -2012



AS TÉCNICAS DO BALLET CLÁSSICO E SUAS DIMENSÕES FISIOTERÁPICAS

Wagner Monteiro Alves










                                                                   BELEM – PA
                                                                           2013











UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA
INSTITUTO DE CIÊNCIA DA ARTE - ICA
ESCOLA DE TEATRO E DANÇA DA UFPA - ETDUFPA
LICENÇIATURA PLENA EM DANÇA -2012



AS TÉCNICAS DO BALLET CLÁSSICO E SUAS DIMENSÕES FISIOTERÁPICAS

Wagner Monteiro Alves

Artigo apresentado ao curso de Graduação em Licenciatura Plena em Dança para obtenção de nota parcial referente à disciplina Metodologia de Pesquisa em Artes ministrada pelas Professoras Luíza Monteiro, Mayrla Andrade e Wlad Lima, na Universidade Federal do Pará.
 Possíveis Orientadores (as): Saulo Silveira/ Maria Ana Azevedo.





                                                            BELEM – PA
                                                                   2013








Sumário
1. Contextualização............................................................................................................?
2. Objetivos........................................................................................................................?
3. Delimitação....................................................................................................................?
4. Justificativa....................................................................................................................?
5. Problematização e Hipótese..........................................................................................?
6. Estado da Arte...............................................................................................................?
7. Metodologias.................................................................................................................?
8. Cronograma...................................................................................................................?
9. Sumário Provisório........................................................................................................?
10.Referências....................................................................................................................?
11. Anexos.........................................................................................................................?


1. CONTEXTUALIZAÇÃO
Surgido no século XV, no interior dos castelos da nobreza, em Florença na Itália, o balé apresenta-se como forma de dança derivada de manifestações camponesas, que adaptadas por membros da corte, se tornaram a dança mais executada nos grandes salões, caracterizando o poder, luxo e ostentação das riquezas. Inicialmente, o ballet era visto apenas como um divertimento para a corte, uma festa, um pequeno baile,balleto, um tipo de dança, que camuflava interesses políticos que eram discutidos durante o baile. Com o passar do tempo, o balé rompe fronteiras tornando o território francês seu principal cenário de evolução, através de nomes como Pierre Beauchamp, criador das posições básicas do balé e Luís XVI com quem a dança obteve grande êxito.
O balé exige grande técnica e aperfeiçoamento do movimento corporal, sendo a perfeição do movimento um dos seus principais objetivos. Nesse gênero de dança os movimentos básicos e necessários são: Plier, battement, pás, relever e sauter, que trabalham com rotação, equilíbrio, extensão e flexibilidade do corpo, proporcionando ao bailarino melhor desempenho técnico e corporal na dança. A ausência desses movimentos impedirá o desenvolvimento físico, causando muitas vezes dores musculares, distensões e outros problemas de saúde, necessitando de tratamentos fisioterapêuticos.
A fisioterapia é uma área da saúde que tem por objetivo estudar o condicionamento e a reabilitação de corpos que se encontram debilitados, por meio de técnicas que possam despertar o movimento no corpo que se encontra estático. Suas origens remontam aos tempos da antiguidade, idade média, renascimento e período da industrialização. É uma ciência que trabalha com os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e doenças adquiridas.
O elo entre o balé e a fisioterapia é dar melhor condicionamento físico ao movimento, no qual possa servir como possível recurso terapêutico, por meio de técnicas biomecânicas, concepções e movimentos do balé. O trabalho do balé vinculado à fisioterapia é aperfeiçoar o movimento corporal e como recurso terapêutico está baseado nas propriedades físicas da dança e controle corporal. Portanto com o conhecimento das técnicas básicas aliados a tratamentos fisioterapêuticos, estas podem servir como reabilitação para um corpo debilitado, dando assim importância às técnicas do balé e suas dimensões fisioterápicas.



2. OBJETIVOS
*Objetivo Geral:
Analisar as técnicas do balé clássico aplicadas sob uma perspectiva fisioterápica em corpos debilitados.
*Objetivos Específicos:
Investigar locais que trabalham com as técnicas do ballet clássico aliadas aos procedimentos fisioterápicos;
Analisar a estrutura anatômica dos pacientes-bailarinos;
Observar o desenvolvimento dos pacientes-bailarinos por meio das técnicas básicas do ballet aplicadas na fisioterapia;
Trabalhar com a consciência dos pacientes-bailarinos.

3. DELIMITAÇÃO
O ponto fundamental das terapias corporais para os pacientes-bailarinos é o conhecimento do próprio corpo, visto que ele deve obter conhecimento de sua estrutura física corporal, para assim então respeitar suas individualidades e limites. Isso se dá por meio do condicionamento físico do paciente-bailarino, conforme o aperfeiçoamento do movimento e suas correções, com ênfase em sua própria consciência corporal, sabendo que tendo consciência de si mesmo é fazer um estudo de conhecimento interno e externo de sua estrutura.
Analisando-se a estrutura anatômica do paciente-bailarino e do não paciente-bailarino debilitados, serão aplicadas técnicas que possam trabalhar com a reabilitação desses corpos que se encontram estáticos geneticamente ou adquirido com o tempo. Isso faz com que técnicas - como as de Laban, que trabalha com analise do movimento, Feldenkrais que tem ênfase na sensação do movimento e Pilates que trabalha com esforço controlado - possam servir como terapias para corpos que estão em busca de melhores condicionamentos físicos eque aplicadas por meio das técnicas do balé dão toda esta dimensão fisioterápicas.
Essas dimensões aplicadas na dança trabalham com toda estrutura corporal do individuo mesmo os que se encontram móvel ou imóvel, por meios das técnicas do balé no âmbito fisioterápico. As posições dos pés, mãos, braços, cabeça englobando todas as posições do corpo, desenvolvem uma noção espacial e interação para com o meio no qual se está trabalhando o conjunto com as propriedades físicas da dança, o raciocínio e a memoria, objetivando, portanto, vencer as limitações dos bailarinos.
Por fim, ao relacionar as técnicas do ballet com a fisioterapia no tratamento de pessoas com distúrbios psicomotores, percebem-se melhoras não só no condicionamento físico, mas também aumento da autoestima, confiança, equilíbrio do corpo, postura, alivio de tensão, do estresse e melhora na disposição. Dessa forma trata-se de uma terapêutica alternativa que pode ser utilizada em escolas e polos de reabilitação que incluem deficientes físicos.



4.  JUSTIFICATIVA

Pretendo falar sobre as técnicas do ballet clássico no âmbito fisioterápico, pois me identifico tanto com a área da dança como a área de fisioterapia. Trabalhar com reabilitação de corpos, é dedicar parte de sua vida para pacientes-bailarinos debitados/não debilitado. Através das técnicas do ballet clássicos inseridos na fisioterapia poderão trazer a esses pacientes novamente um sorriso que antes estava escondido por medo, vergonha, pressões psicológicas e insegurança. Sendo assim, por meio da dança, tentarei resgatar o movimento do corpo e a autoestima dos pacientes bailarinos.
Sendo de grande importância, acredito que este trabalho virá a contribuir para a dança, de forma á despertar novos pesquisadores a falarem o quanto a dança é importante para área da saúde e para a área da dança, visto que ambas trabalham com o corpo e que as técnicas que trabalham, podem juntar-se e gera um novo método de tratamento fisioterápico. Portanto, a grande diferença é que estarei despertando nos pesquisadores o valor da dança em algumas áreas profissionais.
         A partir do momento que a dança passa a ser uma terapia, essa vem, a contribuir para a sociedade de forma a trabalhar no paciente-bailarino, a possibilidade deste recuperar movimentos de parte do corpo que se encontra estático. Logo a dança, será de grande importância para os pacientes-bailarinos, pois ajudará no processo de ressocialização para com o meio, no qual esses convivem.
Portanto, eu Wagner Monteiro Alves, acredito que a dança pode sim ser utilizada como terapia, que possibilita aplicações como recurso terapêutico físico e mental para pacientes-bailarinos e que proporciona a estes melhores condicionamentos e mais ainda sensação de bem-estar e aumento da autoestima.






5. PROBLEMATIZAÇÃO E HIPÓTESE

Como trabalhar a dança no âmbito fisioterápico a partir das técnicas do ballet clássico?

Pretendo investigar a importância da dança na área da fisioterapia, através de exercícios que trabalham o movimento corporal, melhorando o equilíbrio, controle postural, coordenação motora, o alongamento muscular, o controle emocional e a capacidade de superação, adquiridos por meio da dança.



6. ESTADO DA ARTE
Meu objeto de pesquisa retrata a dança inserida na área da fisioterapia por meio das técnicas do ballet clássico utilizado como tratamento fisioterápico, tendo como objetivo principal proporcionar aos pacientes-bailarinos melhores condicionamentos físicos corporais.
Como foco principal ou elemento indutor, a monografia de Cardoso (2008), tendo em vista os aspectos sociais inerentes a prática do ballet clássico e os desgastes físicos dos pacientes-bailarinos, são encontrados nos recursos fisioterápicos, por meio de exercícios que visam as melhoras dos tais. Cardoso suscita que:
O trabalho em comum do balé e a fisioterapia é aperfeiçoar o movimento corporal. Existem também objetivos em comum: no balé é a perfeição do movimento e na fisioterapia o extremo do movimento funcional. O balé como recurso terapêutico para fisioterapia está fundamentado nas propriedades físicas  da dança, controle motor e as concepções do balé. Portanto, com este conhecimento  possível sugerir uma terapêutica com movimento do corpo
Os textos de Mendes(1987), Caminada(1999) e Achcar(1989), foram de suma importancia, pois estes virão a contribuir para minha pesquisa, uma vez que esses irão retratar  a historia da dançaonde :
O ser humano em sua natureza possui a necessidade de expor para as pessoas a sua volta seus sentimentos e estado de espírito que, ao dançar, se utiliza da estética e musicalidade, ou seja, se comunica movimentando o corpo. A história dos povos e seu modo de vida são contados também por meio da dança porque esta sempre foi usada como diversão, arte é a melhor maneira de expressar as emoções (Mendes, 1987; Caminada, 1999; Achcar, 1998,p.3).
Em seguida, tive como indutor Achar (1998), que no decorrer de minha pesquisa virá a contribuir de forma comunicativa ao tratar do processo de evolução da dança em especial o ballet clássico, que Bertoldi relata essa:
Com expressão artística pessoal, assim foi na pré-história do mundo ocidental, realizada em cerimônias, celebrações e cultos. Os egípcios usavam a dança em eventos culturais, os gregos para educação e cultura (tragédia e sátiras) como também preparar-se fisicamente, os romanos dançavam com acrobacias. Esse tipo de expressão humana tornou-se puramente festiva e folclórica na idade média pelo predomínio da igreja e sua aversão à obscenidade e sensualidade apresentada na época.Na renascença a dança volta a se despertar e a partir do século XII os nobres da Itália e Europa para sobressair contratavam profissionais para desenvolver espetáculos em festivais particulares com danças que eram chamadas de balli ou balletti. Assim nasceu a primeira forma de balé, com a rainha da França em 1581 ao contratar italianos para ir a Paris, criaram o Balé Cômico da Rainha com significado filosófico que integrava o governo, à natureza e o universo. Este foi imitado em toda Europa e usava uma técnica que mantêm a rotação externa de quadril permitindo movimentos para qualquer direção. O rei Luis XIV dançou por vinte anos nos século XVII e XVIII, incentivou a profissionalização do balé, formatou movimentos, tirou dos salões e levou para o teatro como pode ser visualizado na figura1 (Achcar, 1998, p.3)
Por fim, considero o texto de Pretince (2003), uma precursora social para com o processo de reabilitação do paciente-bailarino, por meio das técnicas do ballet clássico inseridas na área da fisioterapia, que trabalhará com toda a estrutura física corporal dos indivíduos.






7. METODOLOGIA
Partindo de uma pesquisa bibliográfica de LIMA, minha aplicação é básica, pois a dança é uma atividade física e mental de fundamental importância usada na fisioterapia tal qual como ela é, e analisarei e possivelmente aplicarei as técnica do ballet clássico e suas dimensões fisioterápicas, no qual ainda não são utilizadas pelos centros de tratamentos fisioterápicos e nem mesmo pelas academias de dança dentro da cidade de Belém do Pará.
Sendo de natureza qualitativa, minha pesquisa será aplicada no campo, para que eu Wagner monteiro, possa analisar essa técnica que é de fundamental importância para a reabilitação de pacientes-bailarinos e de suma importância para meu objeto.
Tenho como fonte de pesquisa local ainda não estabelecido, mas já em estudos o núcleo de fisioterapia, onde pretendo pesquisar profissionais da área da fisioterapia, profissionais da dança e pacientes bailarinos. Portanto minha pesquisa é de cunho participante, pois estes colaborarão para minha pesquisa.
Meu procedimento é de aspecto bibliográfico, pois utilizarei de entrevistas, diálogos com os profissionais e colaboradores da área, gravações de vídeos e fotos que possam vim a colabora para meu objeto e que será de grande importância para a sociedade em geral.
Em se tratando das possíveis delimitações que poderão, vim atrapalhar o processo de desenvolvimento de minha pesquisa, cito a falta de não encontrar um local para que possam ser aplicadas essas técnicas do ballet clássico no âmbito da fisioterapia, já sabendo que não existem centros de fisioterapia e nem academias de dança que trabalhem com essa nova técnica.







8. CRONOGRAMA


Defesa do TCC ................................................................   Junho de 2015     
Processo de leituras, estudos, escrito e Revisão Ortográfica-Organizacional do TCC.   .......................................................................................... Julho de 2014 à Maio de 2015     
Apresentação e Revisão escrita desta Pesquisa ao (a) Orientador (a). ...........................................................................................   Abril/ Junho de 2014     
Início da Pesquisa de Campo. ..........................................   Dezembro de 2013 à Março de 2014     
Esboço e Entrega destas ideias, reflexões escritas para o (a) Orientador(a) ...................... .......................................................................................... Setembro/ Novembro de 2013     
Reflexões, organização de ideias a respeito do Projeto......  Março/Agosto de 2013    




9. SUMÁRIO PROVISÓRIO

Introdução

1.História do Ballet clássico.
1.1 O Ballet clássico no Brasil.
1.2 O Ballet Clássico em Belém.
1.3 A dança como expressão corporal, através dos movimentos.

2. Teorias do movimento e a dança.

3. História da fisioterapia.
3.1 Propriedades físicaspresentes na dança.
3.1.1 Coordenação Motora.
3.1.2 Equilíbrio.
3.1.3 Propriocepção.
3.1.4 Cinestesia.
3.1.5 Força Muscular.
3.1.6 Fisiologia do controle motor.

4. O Elo do Ballet e a Fisioterapia.
4.1 As técnicas do ballet clássico.
4.2 Biomecânicas e cinesiologia do ballet.
4.3 Concepções básicas do ballet (series de exercícios corporais).
4.4 Movimentos iniciais do ballet clássico.
4.5 Dimensões fisioterápicas do ballet.

Conclusão

Referencias Bibliográficas

Anexo








10. REFERÊNCIAIS BIBLIOGRÁFICAS

CARDOSO, Daniela da S. A. AS CONCEPÇÕES DO BALÉ COMO POSSÍVEL RECURSO TERAPÊUTICO NA FISIOTERAPIA;Prof. Orientador: Elder Sales Silva; Goiânia: Faculdade Padrão, 2008, 100_folhas; Trabalho de Conclusão de Curso.
PRENTICE, W. E; VOIGHT M. L. Técnicas em reabilitação musculoesquelética.  Porto Alegre: Artmed, 2003.
MARGHERITA, A. J. Issues in gynastics and dancers. Sports Medicine and Rehabilitation: a sport-specific approach, Philadélfia, 151-167, 1994.
KISNER, C; COLBY, L. A. Exercícios Terapêuticos: Fundamentos e Técnicas, 3ª ed. São Paulo: Manole, 1998.
LIMA, L.Dança como atividade física. Revista Brasileira de Medicina do esporte 1 (3) 94-96, jul/set, 1995.
PORTINARI, M. História da Dança, 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.
NETTER, F. H. Atlas de anatomia humana. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.
SANTOS, A. Biomecânica da Coordenação Motora. São Paulo: Summus, 2002.
TEIXEIRA L. A. Controle motor.São Paulo: Manole, 2006.
GUYTON, A. C. Fisiologia Humana. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.
CAMINADA, E. História da Dança: Evolução Cultural. Rio de Janeiro: Sprint, 1999.
BERTONI, I. G. A dança e a evolução: o balé e seu contexto teórico prático, programação didática. São Paulo: Tanz do Brasil, 1992.
BERTOLDI, A. L. S. A interferência da prática da dança na reabilitação de portadores de deficiência física; Rev. Fisioterapia em movimento, vol. X, nº 1, 1997.
ARAÜJO, A. D. S; MERLO, J. R. de C; MOREIRA, C. Reeducação neuromuscular e proprioceptiva em pacientes submetidos à reconstrução do ligamento cruzado anterior. Revista Fisioterapia Brasil, vol. 4, n°3, Rio de Janeiro: Atlântica, páginas 217-22, 2003.
ACHCAR, D. Balé uma arte. Rio de Janeiro: Ediouro, 1998.

 

  






   


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário